Sidebar

06
Sex, Dez

 

Geral

“Jesuítas na história” foi tema de debate na Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes nesta quinta-feira (21). O evento contou com exibição do programa Pílulas da História, da TV Câmara, e lançamento do livro “Devassa da reforma da religião da Companhia de Jesus nesta comarca do Espírito Santo”, do autor Luiz Cláudio M. Ribeiro.

Compuseram a mesa a historiadora e diretora do Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho, Rafaela Machado e o professor doutor da UFES, Luiz Cláudio M. Ribeiro. Iniciando a explanação, o acadêmico falou sobre o processo de pesquisa para produção do livro. “O trabalho do historiador é como de detetive onde ele vai reunindo histórias a partir dos documentos. Não é apenas revelar a história,mas também de garimpar fontes”, disse.

“Vivemos, hoje, uma retomada da valorização do patrimônio imaterial e material, e o somatória disso tudo é que tem feito um país pequeno como Portugal, por exemplo, despontar como uma das nações mais procuradas por turistas com interesse cultural”, enfatizou.

Luiz Cláudio Ribeiro abordou a história dos Jesuítas, especialmente na Comarca do Espírito Santo, traçando um panorama histórico desde o surgimento da Companhia de Jesus, em 1534. “Eles se dedicaram à pregação do evangelho e a conversão dos infiéis, indo para onde o Papa os indicasse. As missões eram instrumentos de controle, educação e formação dos comportamentos de acordo com os dogmas da religião”, explicou.

De acordo com o professor, os Jesuítas chegaram ao Brasil em 1549 e foram se constituindo espinha dorsal da colônia. Ele ainda destacou desde a importância dos registros do indígenas por eles até sua expulsão, explicando, ainda, que a devassa foi o instrumento utilizado para investigar crimes a atuação nas missões.

“A devassa hoje seria o que é chamado de inquérito, uma investigação que depois vai ser transformada em uma ação judicial ou processo administrativo”, disse. Luiz Cláudio Ribeiro ainda destaca a importância do documento sobre a devassa dos Jesuítas, uma vez que o mesmo traz relatos de testemunhas a respeito da atuação da Companhia de Jesus nas capitanias.

A historiadora Rafaela Machado afirmou que é preciso se apropriar da história da região. “Ficou muito claro como esse livro lança luz para quem quer falar sobre Campos dos Goytacazes. Os jesuítas em Campos deixaram uma fazenda com 1.450 escravos, fora os índios aldeados. Era uma das maiores fazendas jesuítas escravistas do Brasil e isso não é estudado”, concluiu. Após a explanação, os presentes participaram com perguntas sobre o tema.

Confira a programação da Câmara no Festival Doces Palavras:

Data: 25/11/2019
Horário: 18h
Local: 18h Emugle 
O patrimônio arquitetônico campista em debate: impactos e perspectivas
Exibição do programa “Pílulas da História” da TV Câmara sobre o Patrimônio Histórico de Campos, seguida de Mesa de Debate.
Mediação: Rafaela Machado (Historiadora e diretora do Arquivo Público Municipal)
Convidados: Simonne Teixeira (Vila Maria – UENF)
Humberto Neto (IFF)
Larissa Manhães (Arquivo Público Municipal)
Rodrigo Porto (COPPAM)

Data: 25/11/2019
Horário: 17h
Local: Foyer 
Abertura da exposição: Como era antes e como vejo hoje
Exposição do Museu Histórico de Campos dos Goytacazes inspirada no álbum de inauguração das obras de melhoramento da cidade de Campos dos Goytacazes de 1916, pertencente a Nilo Peçanha, com fotos atuais do fotógrafo Douglas Marques.

Data: 28/11/2019
Horário: 09h
Local: Plenário
Palestra: Qual a conexão entre a Câmara Municipal e o Museu Histórico de Campos dos Goytacazes?
Palestra com a historiadora e gerente do Museu Histórico de Campos dos Goytacazes, Graziela Escocard.

Data: 28/11/2019
Horário: 18h
Local: Emugle 
Escolha da data da cidade de Campos dos Goytacazes – Reunião aberta do Instituto Histórico e Geográfico de Campos sobre a data de aniversário de Campos