Parlamento Mirim

A quinta-feira (22) foi de muito debate para os vereadores mirins da Câmara de Campos, que esta semana se tornaram deputados mirins na 10ª Edição Plenarinho da Câmara dos Deputados. Os três projetos finalistas, um deles de origem campista, foram levados à Comissões Especiais para serem analisados por relatores antes de irem à votação no Plenário amanhã (23). O projeto de Campos “Incentivo a Produção Audiovisual nas Escolas” foi aprovado por ampla maioria na Comissão.  

 

“Primeira etapa vencida. O projeto foi aprovado pela Comissão Especial de Justiça responsável pela avaliação. Nossa bancada foi fantástica dando sustentação ao projechtocom firmeza, o que garantiu a aprovação com maioria. A defesa convenceu e garantiu a passagem pela comissão acolhendo as emendas o que é de extrema importância, pois eles entenderam que os projetos podem ser melhorados com contribuições importantes. Agora vamos ao plenário para votação”, disse o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista.  

Na Comissão organizada para analisar o Projeto de Lei n° 2 de 2015, de autoria do estudante campista Bruno da Costa Pajola, a presidente da Câmara Mirim de Campos, Carolina Santos de Matos, foi escolhida como segunda vice-presidente, a presidente foi Maria Eduarda Nascimento, de Brasília. Já o agora deputado de Campos, Ryan Sardinha, foi eleito o líder da bancada campista. 

Abrindo a sessão, Carolina discursou sobre a importância da política. “A política está em tudo, mesmo que a gente não veja, ela está ali. Tudo o que seguimos em nossa vidaprecisou de um trabalho enorme para ser elaborado como lei. Então agradeço essa oportunidade de estar aqui e aprender sobre política”. 

Bruno apresentou seu projeto. “Meu projeto tem como objetivo priorizar a educação e a cultura para a formação de uma geração crítica e cidadã através da exibição e produção audiovisual nas escolas”. Em seguida a relatora, Fernanda Camargo, de Brasília deu seu parecer favorável ao projeto abrindo o debate. 

Davi Ramos, de Campos, votou em separado de forma favorável e fez uma emenda em prol da acessibilidade. “A produção deve ser adaptada com recursos para deficientes auditivos, com tradução em libras e para deficientes visuais com descrição e narração. Sempre respeitando a diversidade cultural local”. 

Maria Aparecida Antunes, de Campos, defendeu o projeto do colega. “Esse projeto afasta os jovens das ruas. Paulo Eduardo Leal, também de Campos, ressaltou outros aspectos. “Esse projeto pode ser utilizado em todas as disciplinas auxiliando na aprendizagem”. 

O deputado Celso Russomano (SP) falou aos pequenos deputados do plenarinho. “É um prazer vê-los aqui aprendendo mais sobre política e quem sabe não temos aqui futuros deputados. Quero parabenizar a todos por estarem aqui hoje participando. Parabéns ao Bruno pelo projeto”. 

Voltando ao debate, Daylane Rangel, de Campos, ressaltou a parte cultural e Anny Marli de Souza a importância social. “O projeto poderá ajudar os alunos com problemas na escola”. Raissa Mariano, de Campos, lembrou o trabalho em grupo. “O audiovisual é uma ferramenta simples que pode ampliar o ensino nas escolas e incentivar o trabalho em grupo”. 

Ao final de discussão a relatora Fernanda solicitou algumas alterações. “Gostaria de sugerir a troca de duas horas por mês para uma hora por semana, somando 4 horas. Também sugiro que não seja limitado a produções nacionais”. 

Como líder da bancada de Campos, Ryan orientou a votação dos colegas. “Concordo com as modificações, pois com ela nós ampliaríamos o projeto”. Em seguida os outros 5 líderes de bancada encaminharam a votação de forma favorável. 

Em seguida as alterações da relatora foram colocadas em votação. Foram 45 votos a favor, 2 abstenções e um voto contra. O parecer a da relatora também foi aprovado pela presidente Maria Eduarda. 

Elogio de parlamentar - No encerramento da sessão da Comissão, o deputado Chico Alencar (RJ) parabenizou os jovens deputados. “Assisti a dois minutos e meio desta sessão e ela me comoveu mais do que as dez horas das sessões dos adultos nessa semana. A alegria e a consciência das crianças nos anima e nos faz acreditar nahumanidade. Parabenizo a todos aqui e vejo que o número de mulheres aqui é grande o que também nos deixa animados com essa geração”. 

*Por: Ascom Câmara